quarta-feira, 8 de julho de 2015

Fazer jogos virou modinha ?


Será que fazer o jogos virou modinha, e seria isso ruim ?


O desenvolvimento de jogos no Brasil esta a todo vapor, temos jogos ganhando destaque, jogos com qualidade, mas o que vemos são milhares de pessoas querendo morder essa fatia do bolo, são comunidades de desenvolvimento com milhares de jovens querendo realizar o sonho de ficarem ricos desenvolvendo games, são milhares de jogos publicados todas as semanas nas lojas de aplicativos como Google Play, São centenas de jogos que entram todas as semanas na Steam GreenLight e por ai vai.


Esse fato tem fortalecidos outras industrias como por exemplo a industria de cursos, mas e para nos desenvolvedores será que é ruim ter milhares de pessoas desenvolvendo jogos, que na grande maioria é apenas para tentar levantar uma grana alta milagrosamente !

Primeira coisa que eu tenho notado é que esse fenômeno é semelhante ao fenômeno dos Blogs que ocorreu a um tempo atras e ainda acontece porem e uma escala menor, onde todo mundo queria abrir um blog e achou que ficaria rico assim, porem sabemos que para se ganhar destaque é uma questão de N fatores e dificilmente seria instantâneo, e quem entrava nessa desesperado para ganhar dinheiro acabou desistindo, por pura frustração.


Outro fenômeno semelhante a isso é o dos youtubers, e isso ainda tem persistido com força, vários jovens sedentos por fama e dinheiro tentam criar canais na expectativa de fazer sucesso do dia para noite gravando videos, e nos sabemos que não basta ter um canal.

E essa historia se repete no mundo dos games, vários jovens do brasil e até do mundo se imaginam fazendo fortunas com games, pensando que será tão fácil quanto jogar video game, porem muitos desses milhares conseguem lançar seus primeiros projetos infestando a rede com jogos, limitando o destaque para aqueles que realmente estão trabalhando por amor ao desenvolvimento.

Mas e ai, será que isso realmente atrapalha ? o que você acha sobre isso ?

Embora milhares de pessoas comecem a trabalhar com games nessa esperança de fazer um jogo que renda milhares de dólares por dia assim como Flappy Bird fez, a grande maioria morre depois de lançar no máximo 3 projetos e perceberem que não é bem assim, então meu caro jovem iniciante em desenvolvimento de jogos, recomendamos de coração que ganhar dinheiro seja apenas uma consequência nessa sua jornada de desenvolvedor, porque não será tão fácil assim !

Bom, não tem como negar que isso virou modinha, a dificuldade fica cada vez maior apenas para quem quer começa, e quer ter algum destaque, mas para quem já conseguiu algum destaque no mercado a modinha não vai atrapalhar em nada, assim como grandes canais do youtube não sofrem com a gigantesca quantidade de canais novos que surge, e funciona da mesma forma para os blogueiros mais conceituados, eles dificilmente sentem algum incomodo com o fato de centenas de pessoas tentarem entrar nessa jornada, acredito que para nos desenvolvedores isso não venha afetar tanto, isso é, se o nosso objetivo for trabalhar com jogos porque amamos, porque o tal sucesso é uma consequência do bom trabalho, dedicação e força de vontade para melhorar cada vez mais.

E é claro que você tem que participar dando a sua opinião sobre o assunto :)
Comente abaixo, você acha essa modinha ruim , acha que isso atrapalha em alguma coisa ?



3 comentários:

  1. É só dar tempo ao tempo. O mercado de jogos indies está bem consolidado, quem faz jogo rápido e faz um lixo de jogo é massacrado nos comentários e não vende quase nada. O Steam Greenlight está cheio de joguinhos parecidos, mas só alguns poucos recebem o "Verde" para irem à Loja e lá ainda vão receber reviews de usuários e de curadores e ainda tem o Steam Refund que se o jogo não agradar em 2h o dinheiro é devolvido e fora a pirataria que ainda ocorre na Steam e na Google Play, quem é que vai querer pagar 10, 20, 30 reais se o jogo não é realmente bom e se ainda tem como baixar ilegal? A pessoa só compra se for Bom, Muito Bom.

    O desenvolvedor ou empresa indie, geralmente trabalha de graça. Se não vende bem seu jogo e não obtém seu retorno, vai a falência. Se não persiste, desiste de tudo. Se apela pro Kickstarter pode não conseguir os fundos necessários e se conseguir, mas faltar uma boa liderança e gerenciamento no projeto, simplesmente não sai! Como exemplos temos o Stomping Land. Que foi financiado, saiu na Steam também e está sendo massacrado e negativado e possivelmente o seu mentor nunca mais liderará um projeto desses. Ele se achou capaz por ter participado da equipe do Skyrim e se lançou como desenvolvedor indie querendo fazer um jogo "survival" desse porte.

    E temos exemplos de grande sucesso como Edmund McMillen (acho que é assim o nome dele) o cara simplesmente é fera, tem dezenas de jogos feitos, muitos deles em Flash e ainda é gente boa. Faz um jogo como The Binding of Isaac com trocentas horas de gameplay e toneladas de conteúdo e cobra muito barato e ainda faz DLC para dobrar tudo o que o jogo já oferece e pelo preço mais baixo ainda. E outro exemplo temos a Rovio que fizeram 8 jogos que não deram certo e quase ninguém conhece e então tentaram mais uma fez com o Angry Birds e hoje é A Empresa dos jogos mobile praticamente.

    E assim a indústria de jogos caminha e se consolida, eu só consigo pensar numa quebradeira se os jogos AAA lançarem bugados ou não-polidos e os indies serem basicamente mais do mesmo. Aí não teremos pra onde correr. A onda agora é lançar um jogo todo ano pra algumas franquias, liberar o acesso antecipado do jogo inacabado para conseguir um feedback mais cedo e vender jogos em partes, uma parte sendo o jogo e a outra os DLCs. O pessoal adorou e tem gente que compra mesmo, então veio pra ficar pelo jeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Show, comentário cheio de conteúdo, parabéns e obrigado por participar ^_^

      Excluir
    2. Desculpe ae pela bíblia, acabei escrevendo um artigo dentro do seu artigo KKKKK Mas o que vc acha sobre o que eu escrevi?

      Excluir

Aulas de Games, Design, 3D e muito mais, Clique na imagem !

Postagens populares